Rss

  • youtube
  • linkedin
  • google

Como diminuir o tamanho de discos virtuais VMDK – parte 2

Compartilhe em suas mídias sociais
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Se ainda não leu a parte 1, pode acessar ela por aqui.

Continuando o tutorial, iremos agora iniciar a clonagem dos discos. A primeira parte da clonagem é de um disco que não contem o sistema operacional. Se quiser ir direto para a clonagem com o sistema inicializável, pode pular esta parte e ir direto para a parte 3.

Hora de iniciar a clonagem. Iniciamos a máquina virtual no modo terminal (para caso tenha ambiente gráfico) e logamos como root ou nos tornamos root com o comando su – para que seja possível executar as instruções de particionamento, formatação e clonagem, respectivamente sem necessidade de sudo a todo comando.

No terminal digite fdisk -l para que sejam listados os discos e as partições:

Repare que nossos discos aparecem como sendo /dev/sda, /dev/sdb, /dev/sdc (marquei em vermelho para ficar mais visível) e ao lado o seu tamanho. Essa ordem a, b, c é a ordem de conexão na porta IDE. Como nosso disco foi incluído em Secundário Slave e o Primário Slave está o CDROM (vide imagem na parte 1) ele é o terceiro disco do sistema, ou seja, o /dev/sdc.
Iremos a partir de agora particionar e formatar a unidade. Digite o comando fdisk /dev/sdc.

Dentro do fdisk, digite n, escolha partição primária com p, escolha 1 como número da partição, inicie no cilindo 1 e termine no último cilindro (basta teclar ENTER).

Depois digite p para que seja exibida a tabela criada que deve ficar mais ou menos assim

Podemos ver que foi criada a partição /dev/sdc1.
Agora digite w para gravar as alterações e sair.

O próximo passo é formatar a partição criada no passo anterior com um sistema de arquivos. No caso utilizarei o ext4 que é o mais rápido para trabalhar com o Banco de Dados em Linux. Para isso use o comando mkfs.ext4 /dev/sdc1 ou mke2fs -T ext4 /dev/sdc1

Pronto, a partição está formatada. Agora é hora de montá-la e iniciar a clonagem.
para montar uma unidade, devemos apontá-la para um diretório vazio para facilitar a cópia dos arquivos. Use o comando mkdir para criar um diretório qualquer e em seguida utilize o comando mount para montá-lo nesse diretório.

O comando mount sem argumentos mostra os pontos de montagem e deverá exibir a montagem recém criada.

Nosso ponto está exibido acima em vermelho.
Hora de clonar o disco. Vou usar o utilitário rsync para clonar dados de um local para outro. No meu caso, os dados estão no diretório /database (visível nos pontos de montagem exibidos no comando mount acima) e ele será o source enquanto o novo disco foi montado em /z que será o dest

Repare que ambos os caminhos terminam em /. Isso é importante para evitar problemas com o caminho.
Se quiser detalhes sobre cada argumento utilizado basta dar um rsync –help.
O processo é relativamente rápido como uma cópia. Quanto maior a quantidade e o tamanho dos dados, mais tempo vai levar, mas será exibido o progresso.
Ao final já teremos o disco completamente clonado. Falta agora modificar o fstab para que ele monte o novo disco no lugar do antigo.
Primeiro precisamos saber qual o UUID deste disco e para isso utilizamos o blkid

Agora copie o UUID da partição (/dev/sdc1) e usando um editor abra o arquivo /etc/fstab e substitua o UUID do ponto de montagem que clonou.
Usando o meu como exemplo:

Desligue o sistema e veja como ficaram os tamanhos dos discos.
Usando as informações da primeira parte deste tutorial, podemos comparar e perceber que o disco criado ficou com o tamanho real bem menor mesmo possuindo a mesma quantidade de informações.

Tamanho do disco após clonar dados do disco maior

Disco Secundário da Máquina Virtual com as bases de dados do SGBD PostgreSQL

Quando a VM inicializar já estará utilizando o novo disco montado no antigo diretório. Após fazer testes e se certificar que está tudo OK. podemos excluir o disco de tamanho grande dela sem se preocupar em configurar nada no S.O. pois a montagem foi feito a partir do UUID e não de seu caminho como dispositivo.


Compartilhe em suas mídias sociais
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *